quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Os avós e a educação dos netos



Simplesmente adorei a matéria no site da revista Crescer.


Os avós e a educação dos netos
Pesquisa comprova o que todo mundo já sabia: crescer ao lado dos avós é gostoso e faz bem para a criança


Gostei muito porque já recebi muitas críticas por optar em deixar a Manu com minha mãe, já ouvi de tudo, desde que ela seria uma criança mimada até que ela não se desenvolveria adequadamente e ainda que minha mãe não daria conta! Um monte de pitaco que gostam de dar na vida da gente sem fundamento. Eu não tenho ninguém melhor no mundo pra confiar os cuidados da minha filha, minha mãe é a melhor mãe do mundo e se eu conseguir ser a mãe que ela é vou me sentir completamente realizada e como avó ela é melhor ainda! Ela cuida da Manu como ninguém... com todo carinho e atenção que uma criança merece. E ainda com a ajuda do vovô, Manu tem tanta sorte que fica com a vovó e o vovô, é pura alegria!


Hoje a Manu vai na escolinha no período da tarde, mas nas manhãs ela continua com o chamego da vovó e do vovô e garanto a Manu é esperta e muito feliz!


Ficar na casa dos avós geralmente é sinônimo de diversão. É comer pipoca e bolo de chocolate, brincar de luta no tapete da sala, ter a comida preferida na hora da refeição e ouvir muitas histórias. Mas não é apenas nas brincadeiras e na fuga da rotina que o papel deles é desempenhado; os avós podem ser conselheiros, educadores e um conforto em momentos difíceis.
A importância deles no desenvolvimento das crianças foi atestada em uma nova pesquisa da Universidade de Oxford, na Grã-Gretanha, com 1,5 mil crianças e adolescentes de 11 a 16 anos. Os estudiosos observaram que as crianças que tiveram os avós por perto cresceram mais felizes. Principalmente nos dias de hoje, quando os pais têm uma rotina atribulada, a proximidade é ainda mais benéfica - e necessária.

De acordo com o estudo, quase um terço das avós maternas tomam conta dos netos regularmente na Grã-Bretanha. Em entrevista a BBC Brasil, Eirini Flouri, do Instituto de Educação de Londres, disse que, em épocas de separação dos pais, muitos avós desempenham um papel importante ao trazer conforto aos netos e estabilidade a toda a família. A pesquisa também levantou que os avós foram muito importantes no momento de superar dificuldades como a implicância de colegas da escola e no planejamento do futuro, como a escolha da faculdade.

No colo dos avós é seguro
Alguma vez você pensou que seus pais ou sogros não dariam conta de um bebê ou que poderiam ficar desatentos por alguns minutos e ele se machucaria? Os americanos levam essa história tão a sério que fizeram uma pesquisa e constataram que crianças que ficam com os avós não têm esse risco aumentado por conta da idade dos cuidadores. Se você deixar seu filho com os avós - principalmente agora, que você está no trabalho e seus filhos de férias -, fique tranqüilo e não se esqueça de deixar também:

• uma quantia em dinheiro, para eles comprarem o que a criança precisar

• uma lista de telefones para emergências

• recomendações com horários da rotina do bebê

E lembre-se do ônus: eles vão palpitar, sim, sobre a educação da criança. Mas com uma boa conversa, entrar em um acordo não será tão difícil.

Para entender mais sobre o papel dos avós na educação dos netos, conversamos com as avós e especialistas Teresa Bonumá, terapeuta de casais, e Edimara Lima, psicopedagoga da Prima Escola Montessori, em São Paulo. Veja o que elas disseram:

CRESCER: Como os avós contribuem na educação dos netos?

Teresa Bonumá: Os avós têm uma função de continuidade na educação das crianças, que começa com os pais. Eles podem e devem mimar os netos, brincar, levar para passear, dar conselhos, ter pequenos segredos, mas sempre respeitando a disciplina e os costumes impostos pelo pai e pela mãe.

Edimara Lima: Um papel muito importante está na formação da identidade. São os avós que carregam essa herança e, ao repassá-la, ajudam na construção das raízes, o que é muito importante para o desenvolvimento da criança. A minha filha adorava quando eu contava para ela algumas histórias da família, e hoje em dia, eu faço isso com o meu neto.

CRESCER: Até onde vai a interferência dos avós?

Teresa: Mesmo que não concordem, os avós precisam agir de acordo com os princípios dos pais. Se eles não querem que o filho coma chocolate ou tome refrigerante, os avós não podem fazer isso quando o neto está na casa dele. As crianças precisam de regras, que devem ser impostas pelos pais e seguidas pelos avós.

Edimara: Além disso, os avós também não devem criticar os pais em frente ao neto.

CRESCER: Quando os avós vivem na mesma casa que os netos, o que muda nessa relação?

Teresa: Nesse caso, os avós precisam entender que, apesar de participarem da educação da criança, o papel deles está em segundo plano. Eles não podem interferir quando o pai está dando uma bronca no filho. Apesar de não ser fácil, é preciso estabelecer um limite entre autoridade dos pais e dos avós para que a própria criança não confunda os papéis. O segredo está em muita conversa.

Edimara: A situação é mais delicada. Mas, como estão todos na mesma casa, é preciso que as regras sejam únicas e respeitadas por todos.

Fonte:http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI5327-15546,00.html

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Manu vai para escolinha!


O tempo vôou... e de repente aquele meu sonho que se tornou realidade está com seus 2 anos e 5 meses se preparando para o seu 1º dia de aula.

Gente, minha menininha vai para a escola e se mostra feliz e segura com a novidade.

A mamãe aqui é quem está ansiosa demais! Mas Feliz, aliás a gente se convence de que nosso bebezinho indefeso está realmente crescendo e precisa passar também essa fase, o estímulo social, convivência com outras crianças que ela adora e aquela história de que a escola é a extensão da vida familiar... ok melhor não pensar muito.

Eu fui em busca de uma escola que me desse muita segurança e realmente após várias visitas e boas indicações achei uma que realmente teve afinidade comigo e com certeza vai ser assim com a Manu. Tudo parece que se encaixou, o projeto pedagógico, os valores éticos, os princípios da escola. Não, não estou querendo superproteger, prefiro chamar de cautela, aliás estou entregando o meu bem mais precioso aos cuidados de alguém ainda desconhecido oras!

Depois eu venho contar como foi o 1º dia da Manu na escola...


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O tempo...


"Eu vivo nesse embate constante com o tempo"
Ele sacerdote das razões humanas – o tempo, eu sacerdote das divinas causas

terça-feira, 20 de julho de 2010

Estou de volta!

Oisssss!

Muito tempo depois aqui estou euzinha de volta! Senti tanto a falta de vocês, desse meu pequeno espaço do qual eu gosto tanto! Aconteceram várias coisinhas que nem adianta eu ficar tentando explicar... “quem muito explica o rabo espicha”, ops!! era quem cochicha né? rs


Enfim, estamos de volta! Eu e minha Manuzita! hehehehehehehe
Agora quero me atualizar nos blogs que eu amo taaaanto e depois volto a contar as nossas novidades!

Ah primeiro de tudo quero dizer que estou super mega blaster feliz com a novidade da Fabi, que tá com bebezinho novo na barriga! ADOREI!

Beijoks

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Olhar Gato de Botas!




Essa eu tenho que dividir!

Quem nunca viu (e riu) com esse olhar aí do lado?

E é exatamente esse mesmo olhar que a Manu usa quando quer algo e não cedemos, gente é incrível como o olhar dela se transforma num olhar de piedade, é tão sincero que quase acreditamos (em algumas vezes ela consegue nos convencer...rs)

Ontem mesmo eu na cozinha preparando algo e ela na sala com o papai, ela queria que ele mudasse o canal da TV e ele relutando que não e ela: ah papai!

Quando de repente ele solta: ah Manu olhos de gato de botas não, isso é covardia! rs

ai ai eu me divirto muito!

beijos!






segunda-feira, 24 de maio de 2010

A primeira manhã de mau humor!



Manu tá dodói desde quinta - feira, tosse, peito carregado. Normal talvez pela mudança brusca do tempo, mas uma judiação vê-la daquele jeito. Ligamos para o pediatra e ele indicou um remedinho e inalação três vezes ao dia somente com soro.


Ok, lá vamos nós... achei que ia ser uma das mais resistentes provas, como convencer a Manu a ficar quieta pra fazer a inalação? E qual foi a surpresa? Ela achou incrível a fumacinha.... rs e fica quietinha, igual uma mocinha, segura sozinha (opa, rimou tudo! rs) e quando acaba: mais, mais! Ela realmente surpreende!

Bom, o fato é que essa tosse a noite piora e ela tem dormido mal, consequentemente a mamãe aqui dorme super mal também e então acabamos que trouxemos a Manu para o meio da cama de novo! Poxa causa super justa né, com esse frio, doentinha, ela merece o aconchego do ninho do papai e da mamãe, aí depois que passar ela volta pra caminha de novo, já vi que nem é difícil, Manu tem uma ótima adaptação a mudanças.

Mas mesmo estando na nossa cama ela não tem dormido bem, a tosse, nariz trancado, tá sempre acordando e isso rendeu um mau humor na baixinha que chegou a ser cômico! Essa manhã ela acordou mal humorada à beça! Enfiou o rosto no travesseiro, bumbum pra cima e nada de conversa, nem de beijo e muito menos de cheiro da manhã. Normalmente ela acorda feliz, quer assistir Vila Sésamo, faz as dancinhas e é uma fofura! Hoje a meiguice se escondeu atrás do Didê (o paninho dela) enquanto trocava o Didê cobria o rosto e a única palavra que saiu daquela boquinha foi: Mamá! Num tom bem seco! Eu hein, eu que não ia contrariar, vai que esse negócio de mau humor é meio hereditário e ela trouxe isso do pai (é o Marcos é quase um ogro na primeira meia hora da manhã).

No caminho pra casa da minha mãe as manhãs são sempre engraçadas, ela quer que ligue o DVD do carro com Xuxa pra baixinhos ou o DVD de uns pingüins que ela ama! E faz questão que eu faça as coreografias junto com ela. Hoje então resolvi ligar o DVD e já me adiantar antes mesmo que ela pedisse, queria animar a baixinha né! aí me coloquei na dança dos pingüins: “... mãozinhas pro ar, mexe os bracinhos a dançar, mãozinhas no chão...” , mas o mau humor da Manu continuava: não mamãe, pára! Genteeeeee, imagina só, a criatura nessa idade já assim tão irritadinha pela manhã? Não deixou de ser uma manhã engraçada! rs... tadica, mas foi só porque tá dodóizinha, amanhã ela vai voltar ao normal (espero! rs)

Beijos!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

o primeiro cofrinho a gente nunca esquece

Ai ai Manu, essa garotinha tá saindo melhor do que a encomenda! rs...
Ontem fomos à festa de aniversário do fofo do Gui, tá tão moço, seis aninhos já, tão lindo! Aí a Manu ganhou lá uma cofrinho de lembrancinha. Um cofrinho desses bem tradicionais, de porquinho que depois de cheio tem que quebrar o pobre coitado.
A Manu nunca tinha tido um cofrinho antes e hoje durante o almoço resolvemos mostrar a utilidade daquele objeto que ela estava andando pela casa toda chamando carinhosamente de bola (o porquinho é tão redondinho que parece mesmo uma bola). Demos a 1ª moeda de 5 centavos da vida dela e colocamos no buraquinho, os olhinhos da Manu brilharam, junto de um sorrisinho meio de lado assim cheio de satisfação como se tivesse descoberto uma das coisas mais incríveis! O fato é que todos que estavam no almoço tiveram que colaborar no cofrinho dela, minha irmã, a Vick minha sobrinha e meu pai, ela ia em cada um com o cofrinho e pedia: mais, mais... tudo que a Manu quer de novo, repetido, em dobro é mais.
E cada vez que alguém dava uma moedinha na mão dela e ela conseguia colocar dentro do cofrinho era uma verdadeira alegria pra ela.
Achei engraçado minha bebê tão pequena, no auge dos seu 1 ano e 9 meses já começar a poupar! rs... tão bonitinha carregando seu cofrinho ou bola rs, e aí de quem chegar perto hein!
Essa minha menininha é uma figura!